Blog

Todos os posts (10)

Gestão de Tempo para Concurseiros

Uma das coisas mais complexas nos dias atuais é a gestão de tempo. Na vida desempenhamos diversos papéis: pai, tio, amigo, empregado, chefe, estudante, concurseiro, etc. Cada um desses papéis implica em diferentes atividades. Para dar conta disso tudo, é preciso saber gerenciar bem o tempo. Em uma situação normal, eu diria que você deveria equilibrar todos esses papéis. Contudo, na minha opinião, eu acredito que na fase de concurseiro não será possível fazer tudo. Muita gente fala que você deve estudar, ir para academia, sair para o cinema no fim de semana, fazer yoga, etc. Para mim, não dá para fazer isso tudo e ainda estudar para concursos. Na verdade, é possível, claro, mas o que quero dizer é que isso terá um preço: diminuir o tempo de estudos. Provavelmente, fazer "tudo", no mínimo, atrasará sua aprovação.

Eu acho que você deve colocar todos os seus esforços na atividade de concurseiro, principalmente se você trabalha 8 horas por dia. Fazendo isso, você passará logo e voltará a sua vida normal. É preciso ter em mente que nunca há tempo suficiente para o concurseiro. Lembre-se que você terá uma quantidade enorme de matérias para estudar. Não dá para fazer faculdade, fazer inglês, aula de música, academia e ainda estudar para um concurso de alto nível. Eu sei que essa opinião vai de encontro ao que muitas pessoas dizem por aí. Contudo, eu sinceramente acho que essa ideia é mundo ideal desenhado por muitos coaches. Eu não estou dizendo você tem que virar uma pessoa super estressada e paranoica com os estudos. É preciso sempre bom senso. Claro que é possível fazer uma atividade "extra", como ir para academia. Contudo, não dá para fazer é "tudo".

Eu acredito você deve tentar transformar todo o seu tempo livre em tempo de estudo. Eu disse tentar. Note que existem momentos que você não poderá estudar, por exemplo, enquanto está trabalhando. Também existem momentos que você precisará relaxar: você não é um robô. Contudo, fora esses momentos, você deve estudar. Procure otimizar as atividades que você acha fundamentais e descartar as que não são necessárias nessa etapa da sua vida. Para ficar claro, tomemos o exemplo da academia. Ao invés de gastar 1h e 30min malhando, talvez, você possa trocar esses exercícios por uma caminhada de 30 min. Ah professor, mas aí vou virar "frango" ou deixar de ser "panicat". Lembre-se que isso é temporário. Depois da posse você poderá voltar ao "normal". Outro exemplo: horário do almoço. Ao invés de fazer 1 hora de almoço, gaste 45 min e reserve 15 minutos para ler algo. Esse esforço inicial é muito importante. Talvez, depois de atingir um certo nível, você já possa voltar ao normal.

Agora vamos pensar em uma atividade de descarte. Por exemplo, um curso de espanhol. Ora, se espanhol não cai na sua prova, fica claro que esse curso está roubando horas preciosas de estudos. Esse exemplo foi lógico e fácil de excluir. Contudo, em alguns casos você provavelmente irá brigar com sua mente: a pelada no fim de semana, o kart da quarta-feira, o happy-hour da empresa, etc. O ponto chave aqui é aprender a dizer não. Toda vez que você diz não para uma atividade dessas, você está dizendo sim para o seu projeto de estudos. Claro que é preciso ter bom senso, mas no mundo ideal, repito, seu foco é estudar.

Lembre-se que essa fase é temporária, não será para vida toda. Muita gente poderá dizer: ah professor, mas nesse caso vou virar o "senhor estressado". Pessoal, concurseiro é estressado por natureza. O que você pode tentar fazer é minimizar esse stress sem deixar ele passar do “normal”. Por exemplo, o stress não pode fazer você perder o controle sobre seus estudos e usar este mesmo cansaço como desculpa rotineira para tirar uma "folga".

Pare um pouco e pense comigo. Vamos pegar o exemplo dos campeões olímpicos. Você acha que eles ficam fazendo aulas de piano, faculdade, inglês, espanhol, baladas, etc. Não! Para chegar em um alto nível, a vida deles é praticamente dedicada ao esporte. A mesma ideia vale para um grande músico, pintor ou matemático. Note que as pessoas que se tornaram experts em uma área dedicaram boa parte do seu tempo a uma atividade. Você quer ser especialista em concursos? Seus esforços devem estar centrados na atividade de estudo para concursos. Toda vez que você inventar uma nova atividade estará dividindo sua atenção e tempo.

Feito esse alerta inicial, vou passar algumas dicas de como otimizar e organizar seu tempo de estudos.

  • Conheça sua capacidade de leitura. Você precisa saber quantas páginas você lê e entende por minuto. Com isso em mãos, você conseguirá estimar em quanto tempo você terminará de ler um livro, por exemplo. Essa ideia também vale para vídeo-aulas. Se você consegue ouvir e entender uma aula em velocidade 1.5X vai gastar menos tempo. Ou seja, o bizu é conhecer a sua velocidade de aprendizagem
  • Foco. Quando estiver estudando uma determinada matéria esqueça do mundo. Pense somente no que você está estudando naquele momento. Para isso, você deve evitar distrações. Desligue o celular e a internet. Não pense na próxima matéria que você tem que estudar. Seu foco é o momento presente.
  • Evite multitarefa. Essa dica tem relação com a anterior. Tem gente que estudar e ouve música. Tem gente que estuda com o facebook aberto, whatsapp, etc. Isso pode ser um vício. Acostume-se a focar e concentrar-se nos estudos. Muitas vezes, fazemos isso com uma fuga da dor. Como se não tivéssemos estudando. Ah, “eu estou aqui ouvindo uma música e estudando”. Uma dica legal que ajuda a evitar distrações é escolher um local de estudos isolado, por exemplo, uma biblioteca.
  • Variar os temas e estímulos. Fazer algo repetitivo é péssimo. Se possível, tente variar entre disciplinas que usam diferentes raciocínios. Por exemplo, uma disciplina de exatas e uma de direito. Também tente mudar os estímulos. Tente variar entre ler, assistir, fazer anotações, ouvir, etc.   
  • Planejamento. Você precisa saber exatamente o que vai estudar. Você precisa planejar. Se toda hora você tem que decidir o que vai estudar, isso acabará consumindo muito tempo que poderia ser utilizado para o estudo propriamente dito. Crie uma visão de curto, médio e longo prazo. Uma ferramenta útil para isso pode ser ciclo de estudos.
  • Redes Sociais. Controle o seu vício. Estabeleça limite de uso e/ou horários. Não esteja online quando estiver estudando. Evita essa mania de postar tudo que está fazendo: “Comecei a estudar RL” (twitter), “Cheguei na biblioteca” (facebook). Se você vacilar, você pode perder uns 10 minutos por post. Enfim, sai das redes sociais ou limite seu uso.
  • Deslocamentos. Durante o dia perdemos muito tempo nos deslocando. Muitas vezes ficamos presos em engarrafamentos. Nessas horas, o que você pode fazer é escutar um áudio. Por exemplo, a Constituição Federal. Essas horas são sempre bônus, não devem estar no seu planejamento, caso contrário gerarão apenas estresse.
  • Compromissos em geral. Dentista, médico, cartório, etc. Temos diversos compromissos, contudo em muitos deles ficamos em "salas de espera".  Aproveite esse tempo para estudar. Poder se um texto no seu celular, pode ser a leitura no CF no site do planalto, um áudio, um vídeo, etc. Essas horas são sempre bônus, não devem estar no seu planejamento, caso contrário gerarão apenas estresse;
  • Limite o tempo das demais atividades. Estabeleça um tempo máximo para o que não é estudo: futebol, kart com amigos, poker, cerveja, etc. Por exemplo, se em uma determina semana você saiu com os amigos em um happy hour, nessa mesma semana não rola o futebol, pois você já “estourou” sua cota. 
  • Bom senso. Não fique paranoico. Você pode e deve fazer outras coisas, mas tenha em mente que seu foco agora são estudos. 

Agora vou falar da única atividade que eu acho que não deve ser diminuída: o sono. Respeite seu corpo. Descubra quantas horas de sono você precisa. Estudar cansado vai acabar com seu rendimento e humor. Duas horas bem, acredito que são mais produtivas que 4 com sono. Além disso, se priva de sono, poderá gerar um problema de saúde no futuro.

Por fim, vale a velha recomendação de um boa alimentação e exercício físicos. Procure manter sua saúde física e mental. Apenas acho que agora não é momento de virar o Hulk ou a Mulher Maravilha.

 

Saiba mais…

Você está disposto a pagar o preço da aprovação?

Geralmente quem decide fazer concurso público não está em uma situação muito boa. O caso típico são pessoas que estão sem emprego ou que não estão satisfeitas com o emprego atual. Essa insatisfação pode ter diversos graus. Pode ser que você não esteja mais suportando o seu trabalho ou simplesmente esteja buscando um emprego estável. Claro que existem pessoas que não estão nessa situação, por exemplo, também existe o grupo de pessoas que acabou de terminar a faculdade e muitas vezes ainda moram com os pais.

O que eu gosto de dizer é que ninguém sonha em ser "servidor público". Talvez eu possa citar como exceção o caso de juiz, engenheiro da petrobras e alguns outros poucos cargos. Contudo, a regra é que geralmente quando crianças não dizemos que queremos ser servidor do ministério XYZ. O normal é dizer queremos ser professor, médico, advogado, dentista, etc. A questão é que temos que ganhar dinheiro para pagar nossas contas e algumas vezes a profissão que escolhemos não atende nossas necessidades. E não estou falando apenas de necessidades financeiras, eu estou falando de maneira mais ampla. Por exemplo, nada adianta ganhar bem e não ter qualidade de vida.

Em resumo, o que as pessoas querem quando buscam concursos públicos é mudança. Por exemplo, no meu caso eu queria sair do mercado privado. Só quem viu os dois lados da moeda entende perfeitamente como as coisas funcionam, mas isso é papo para outro tópico. Seja como for, antes de você decidir se vai fazer um determinado concurso geralmente é importante ter a resposta para a seguinte pergunta: você realmente quer fazer concurso? É provável que você diga sim! Contudo, a pergunta mais precisa seria: Você está disposto a pagar o preço?

Veja que agora tudo muda. Você deve estar pensando: Qual é o preço? Meu amigo, não se iluda. A decisão de se tornar um concurseiro não deve ser tomada do dia para noite. Esse é projeto de médio/longo prazo. E ele cobrará seu preço. Se você for só na "empolgação", pode acabar só desperdiçando o seu tempo da sua vida, o qual, como sabemos, é finito. Ora, querer passar em concurso, todo mundo quer. Contudo, poucos estão dispostos a pagar o preço

Nessa jornada, é provável que você deixe a sua antiga vida social. Seus novos amigos serão outros concurseiros. Você passará a acordar, comer e sonhar com concurso. Aliás, eu sempre gosto de dizer que você está próximo da aprovação quando passa a sonhar com o dia da prova (fazendo a prova). Provavelmente, você também terá que utilizar seus finais de semana para estudar. Em resumo, não será fácil! Sua vida girará praticamente em torno desse projeto.

Prepare-se para dor. Isso mesmo, a jornada não será fácil. Agora, tenha cuidado para não confundir as coisas. Uma coisa é saber que o caminho terá dificuldades, mas não quer dizer que quem sofre, passa. Por exemplo, já vi concurseiro fazer cursinho de madrugada! Será que era realmente necessário? Não se pode inverter as coisas. Ou seja, criar mais dificuldades para uma jornada que por se só já tem muitos desafios.

Por que estou te dizendo tudo isso agora? É para desanimar você? Não! É na verdade um aviso, para que você fique atento a sua postura durante a sua trajetória. Já vi muita gente desperdiçar anos "estudando" para concurso. É extremamente necessário que você perceba que essa decisão implicará em uma jornada longa e árdua. Para passar em um cargo de alto nível, você levará, pelo menos, 1 ano. Se você não entrar para "jogar para valer", provavelmente será apenas perda de tempo.

Se eu entrar para valer nesse "jogo", eu serei aprovado? Gostaria de dizer que sim. Contudo, a verdade é que mesmo jogando "sério" você apenas aumentará suas chances de passar. Não há garantia. Por exemplo, tem muita gente que faz tudo certinho, mas tem um branco no dia da prova. Pode ser que a discursiva tenha vindo com um tema que você não tem a mínima ideia. E por ai vai....

Quem é concurseiro velho de guerra sabe que o segredo é persistir. Contudo, nada adianta "fingir" que está estudando. Aliás, tem muita gente usando concursos como "profissão" ou para dar uma justificativa a família que está fazendo algo. Esses dificilmente passarão. É perda de tempo e dinheiro jogado fora. Meus amigos, a vida é curta. Se for estudar para concurso, faça direito. Melhor passar o quanto antes do que se arrastar por anos em busca de uma vaga.

Ah Almeida! Tu tá me desanimado, miserável! Eu estou sendo é verdadeiro com você. Claro que se você se dedicar, em média, espera-se que você seja aprovado. Aliás, é por isso é que tão importante fazer muitos concursos (de uma grade área). Quando mais provas você fizer (e tendo se preparado da forma correta), maiores serão suas chances de aprovação.

Por fim, tenha em mente que os concursos estão cada vez mais disputados. Encare essa fase de sua vida como um grande projeto e como todo projeto ele tem riscos.

Saiba mais…

Primeiro a base do castelo...

Outro dia, um concurseiro comentou sobre as várias discussões polêmicas que aconteciam nos grupos de whatsapp. E nesse momento lembrei que muitas pessoas deixam de construir uma base forte nos seus estudos e ficam presos em detalhes que muitas vezes jamais serão objetos de prova novamente. A grande verdade é que concurso é uma piscina longa e rasa. Antes de focar em detalhes complexos é preciso construir a base do seu castelo. Ou seja, você deve focar nos assuntos que tem maior probabilidade cair, depois avançar nos detalhes da matéria. E como fazer isso?

Primeiro ponto é dominar a lei seca de cada disciplina. Se você está estudando, por exemplo, direito constitucional é preciso conhecer (memorizar) os artigos da constituição. De posse da lei seca, você já será capaz de acertar muitas questões. Ao fazer questões, você identificará quais pontos sua banca mais cobra. Numa segunda etapa, você poderá passar para as jurisprudência do STF e em seguida do STJ. Somente depois de dominar esses pontos, ou seja, ter montado sua base, você poderá se dar o luxo de ficar discutindo "pontos polêmicos". Lembre-se o edital é "infinito" antes de querer decorar o rodapé do livro, garanta domine os conceitos básicos, "as grandes verdades" de cada disciplina.

Grande Abraço!

Almeida Júnior.

Saiba mais…

Não afie demais o seu machado...

Você já deve ter ouvido falar na história do machado. Não ?

Um jovem lenhador desafiou o seu velho Mestre sobre quem teria mais domínio e habilidade no uso do machado. Entre uma árvore e outra que o jovem derrubava, ele olhava para o Mestre, a uma certa distância, mas na maior parte das vezes o via sentado. Contudo, no final do dia viu-se que o velho Mestre tinha cortado muito mais árvores que o jovem.

- Mas como é que pode? – surpreendeu-se. Quase todas as vezes em que olhei, você estava descansando!

- Não, meu filho, eu não estava descansando. Eu estava afiando o machado. Foi por isso que você perdeu a competição.

Essa história mostra a necessidade de planejamento e treino. Contudo, hoje gostaria de falar das pessoas que passam o tempo todo afiando o machado. Esse também é um grande erro. Muitas pessoas ficam se preparando, se preparando e nunca fazem provas de concurso. Provas reais! É o que eu chama de "donzelo dos concursos". Esse cara nunca perdeu em nenhum concurso, mas também nunca fez nenhum. Planeje, estude e FAÇA CONCURSOS!

Muita gente evita fazer provas com medo do fracasso. Isso é grande erro. Você deve fazer provas, perder faz parte. Ao fazer provas reais, além de testar seu conhecimento e descobrir onde estão suas lacunas, você treinará a execução em si. O que fazer no dia da prova. Fazer simulados ajuda, mas nunca será como fazer um prova real. Por isso, meu conselho é que você não fique afiando o machado demais. Parta para execução e aprenda com seus erros, depois volta para afiar seu machado novamente. Esse processo iterativo, levará você a perfeição.

Bons Estudos!

Grande Abraço!

Saiba mais…

Perder fez parte

Olá Meu amigos,

Como muitos de vocês já sabem, atualmente sou Auditor Federal de Finanças e Controle na Controladoria Geral da União. Também sou professor e um apaixonado pelo mundo dos concursos. Se você viu minhas aprovações, talvez pense que tenha sido fácil. Na verdade, meu amigo, até chegar nas aprovações, eu perdi vaaaaaaarias vezes. Perdi no primeiro vestibular, perdi em concursos para tribunal, perdi no concurso da Receita Federal, perdi para Fiscal em BH, perdi no concurso da Anatel e tantos outros que nem lembro de cabeça. Talvez você possa estar justamente nessa fase! Por isso, vou te dar um dica: 

Perder faz parte!

"Ah Almeida, meu tio, meu primo, meu amigo... estudou 6 meses e passou em primeiro". Pode até ser, mas eles são exceções. A grande maioria dos concurseiros (hoje servidores) perderam em muitos concursos!  Logo a segunda dica é: 

Mantenha sua auto-estima elevada! 

Ora, você vai "tomar porrada". E poderá doer muito! Você poderá ser eliminado por não ter feito o mínimo em uma prova, poderá ser eliminado por uma única questão, poderá ser eliminado por ter ficado nervoso, etc, etc. Enfim, quando estudamos para concursos corremos um grande risco de não passar. E quando a sua "tia" chata vier com: "Olha, seu primo estudou 2 meses e passou para Juiz  Federal" ou "Meu filho, já tem dois anos que você está estudando e ainda não passou em nada ?". Nesses momentos,  você deve estar preparado! Se der ouvidos aos outros, você se sentirá incapaz e vai desistir.

É nessa fase de reprovações que começam as várias desculpas para desistir e eu chuto que 70% dos concurseiros param por aqui. Vamos pegar meu exemplo. Lembra que eu perdi no meu primeiro vestibular! Eu nasci em uma cidade do interior da Bahia (Jacobina). E estudei até segundo ano do ensino médio por lá. Somente no terceiro ano, eu consegui ir para Salvador e entrar no Colégio da Polícia Militar. Aliás, esse foi o meu primeiro concurso público! Apesar de ter tido um curso melhor no terceiro ano no colégio militar, ele não foi suficiente para corrigir todas as minhas deficiências. Aí veio o vestibular e bomba! Bem, eu poderia ter desistido, ter achado que aquilo não era para mim. Ora, um garoto do interior concorrendo a uma das 60 vagas de engenharia elétrica na universidade federal, contra boa parte dos melhores alunos da capital. Sim! Eu poderia ter desistido, muitos iriam compreender e teria uma boa desculpa! Contudo, eu desisti de desistir e o resultado veio no ano seguinte. E mantive sempre essa ideia que iria seria aprovado e cada reprovação era apenas uma etapa do processo.

Seja forte, resiliente, esteja preparado para tomar porrada, pois na vida de concurseiro perde-se muitas batalhas, mas quem persiste vence a guerra.

Até a próxima!

Grande Abraço!

Saiba mais…

Questões impossíveis de responder....

Sim, elas existem. E muita gente não tem essa percepção. A gente acredita em um lenda que se estudarmos tudo, vamos acertar tudo na prova. Contudo, na verdade, mesmo que lhe fosse dado 10 anos de estudos, você ainda poderia ser surpreendido na prova. Essas são as questões "impossíveis".  São questões, por exemplo, que o examinador tira do rodapé do livro ou de uma doutrina pouco utilizada. Outras vezes, o examinador utiliza jurisprudências que ninguém ouviu falar. Também existem aqueles questões polêmicas que um autor diz uma coisa e outro diz outra.

Tomar ciência da existência dessas questões pode ser um grande diferencial no dia prova. Por que? Por causa do seu estado psicológico. Mesmo amigos, fazer prova de concurso é muito mais que memorizar conceitos. Envolve diversas inteligências. No dia da prova você deve controlar seu emocional. Uma pessoas sem experiência em concursos, ao encontrar "questões impossíveis" pode ficar nervosa e perder ali o concurso. Para evitar esse tipo de situação, você deve se preparar muito bem. Escolhe bem seus materiais e dar  seu melhor. Fazendo isso, no dia da prova, você saberá identificar "questões impossíveis". Nesse momento, seu pensamento deve ser: "Ora, eu estudei e muito. Estou preparado. Se eu não sei esse tópico, é provável que metade da torcida do flamengo também não saiba". Isso manterá sua confiança elevada. Em um segundo momento, mesmo não sabendo direito do que se trata. Você deve dizer para você mesmo: "Ora, mesmo sendo uma questão esdrúxula, alguém vai acertar. Alguém sempre acerta. E eu vou estar nesse grupo". Depois disso, você encontrar uma maneira de marcar a questão,  mesmo que seja utilizando um técnica de chute.

Outro ponto importante dentro desse tema é saber reconhecer tais questões durante seus estudos. Não fique "procurando pêlo em ovo". Tem gente que fica discutindo por horas e horas uma questão polêmica. É perda de tempo. Provavelmente essa questão não cairá no seu concurso e em nenhum outro. Seu tempo é precioso demais. 

Enfim, "questões impossíveis" virão. É preciso estar ciente disso tanto durante os estudos quanto no dia da prova. Reconhecer a existência de tais questões é uma das características que separam um concurseiro profissional de um amador.

Grande Abraço!

Bons Estudos!

Saiba mais…

Concentrando seus esforços

Nós podemos fazer muitas coisas, não tenha dúvida disso. Porém, isso não quer dizer que tudo deve ser feito ao mesmo tempo. Esse é o erro de muitos concurseiros. Na verdade, é um erro geral. Por isso, cada vez mais é comum falar-se em produtividade e gestão de tempo. Gestão de tempo é no fundo definição de prioridades. Além disso, é preciso fazer uma coisa de cada vez. Faça bem feito e não precisará fazer de novo. Manter o ritmo é mais importante que estudar 10 horas um dia e nada no seguinte. Querendo vencer logo essa etapa de concurseiro, muitas pessoas cometem alguns erros.

O erro mais comum é não escolher uma área foco. Quem não escolhe uma área foco, acaba fazendo todos os concursos que aparecem. Em média, isso acaba sendo uma grande perda de tempo. É preciso concentrar seus esforços. Cada "não" que você dá para um determinado concurso fora da sua área é um sim para seu concurso foco.

Outro grande erro é a pressa em acabar o edital. Tem gente que faz ciclo de 10 matérias ou com todas! Eu acho que essa estratégia é ineficiente. Claro que não há uma regra que sirva para todos quando o assunto é estudo para concursos. Contudo, uma quantidade muito grande de matérias, na minha visão, produz justamente o efeito oposto. Por exemplo, imagine que você estude hoje direito constitucional. Com um ciclo grande, quanto tempo depois você voltará a ver a matéria? Ora, se o espaço de tempo for muito grande, você poderá perder a sequência da matéria. Além disso, muitas matérias fazem com que você avance muito pouco em cada disciplina. Particularmente, prefiro acho mais efetivo ciclos menores. Além disso, uma visão geral de uma matéria pode ajudar em outra. Por exemplo, um bom aluno de direito constitucional pode tirar proveito disso ao estudar direito administrativo. O recado de hoje é esse: concentre os seus esforços, mantenha um ritmo e execute um passo de cada vez.

 Veja aqui porque não ser uma metralhadora giratória

Saiba mais…

Você será um daqueles que desistiu ?

Quando o tema é concurso, todo mundo tem um conselho, uma dica. Muita gente fala em motivação. Contudo, muita gente não escolhe a motivação correta e isso pode ser fatal! Escolher o motivo que te leva agir pode definir se você vai continuar estudando ou desistir da vida de concurseiro.

A motivação correta é o que separa a pessoas determinadas e as que desistem. Quando definimos um objetivo, uma técnica muito utilizada é o das metas SMART(específica, mensurável, alcançável, relevante e temporal). Nesse post, quero que você reflita sobre a letra R. Para isso, vamos imaginar que você tem que fazer uma corrida de 20km. Se você chegar ao final, você receberá um prêmio. A qualquer momento você poderá desistir da corrida. Sempre a seu lado, terá um carro te acompanhando. Esse carro tem água, cerveja e suco geladinhos. E também está com o ar condicionado ligado. Se você desistir, ganha metade do prêmio. 

A corrida começa e sol está quentíssimo! Depois de 5Km, você começa a sentir os primeiros sinais de cansaço. Quando chega na metade (10km), você está realmente esgotado! Você olha para o lado e vê aquele carro, com ar condicionado, água e metade do prêmio. E aí o que você faz ? Ora, tudo dependerá da relevância do motivo pelo qual você está correndo. Ou seja, sua motivação.

Se você estava correndo porque só porque "gostou" do desafio, é provável que você desista ali e pegue metade do prêmio. Por outro lado, se aquele prêmio é o dinheiro suficiente para comprar um remédio que salvará a vida do seu filho, é provável que surjam novas energias e você continue a corrida até o final.
Percebeu ? O prêmio é o mesmo, mas o motivação certa pode decidir se você continua ou desiste da sua jornada.

Qual a sua motivação quando está estudando para concursos públicos ?

Grande Abraço!

Saiba mais…

Determinação

Salve, Salve Guerreiros!

Meu amigos, hoje eu trago um dica essencial para quem quer ter sucesso em concursos públicos: Determinação.

Isso mesmo! É necessário que você firme um compromisso com você mesmo! Nós sabemos que essa jornada não é nada fácil. Eu já passei pelo o que você está passando, senti na pele todas as dificuldades. E qual é o nosso maior aliado nessa batalha? Nós mesmos! Você deve persistir e manter-se firme no seu propósito.

Prepare-se vão vir horas de desânimo! Isso é muito comum! E é nesse momento que você vai usar uma arma secreta: A vontade de vencer! De melhorar de vida! De ter um grande emprego e um bom salário! Seja qual for seu sonho, o emprego público pode ser o primeiro passo dessa jornada. Por isso, não sofra de "desculpite". E o que é isso Almeida ?

Desculpite é a doença da desculpa. Você fica usando seu cérebro para encontrar desculpas para não fazer algo ou desistir de uma tarefa. Quando você notar que está sendo atacado por ela, é hora de usar a determinação. Meu amigos, quem é comprometido com uma causa, não aceita nenhum tipo de desculpa, foca no objetivo e vai atrás de resultados!

Não desista! Tombar nessa jornada é normal! O importante é levantar das quedas e persistir! Lute! Use a sua determinação, use sua mente a seu favor! 

A melhor forma de prever o futuro é criá-lo 

Um grande abraço!!

Prof. Almeida Júnior.

Saiba mais…

Bem-vindo à Liga Concurseira

Bem-vindo! Essa é uma rede social para concurseiros. O objetivo é compartilhar conhecimentos e informações entre os membros da rede. É possível criar grupos e fóruns para discussões. Você também pode compartilhar informações utilizando sua timeline.

Saiba mais…